logo.gif

 

"Aquele que sabe e não consegue comunicar o que saber,

na verdade não sabe, apenas pensa que sabe"

 

 

DICAS

 

 

USE O VERBO ACHAR COM CAUTELA

 

Durante uma apresentação, o verbo achar precisa ser utilizado com cuidado. Normalmente, transmite uma ideia de insegurança.

 

Parece que o orador não tem muita convicção do que está falando. Nas empresas durante as dinâmicas de grupo, a pronúncia do acho acende o sinal vermelho entre os avaliadores.

 

Exemplos:

 

- Acho que foram os próprios funcionários do Ibama que autorizaram as queimadas. (Pode significar uma denúncia infundada, Os tais funcionários podem estar sendo caluniados).

 

- Como líder da Câmara, acho que nosso partido está pronto para votar a matéria. (Há uma incerteza. Como confiar num líder que apenas acha que seu partido vai votar a matéria?).

 

- Acho que as medidas que tomamos vão baixar o déficit público. (Como acreditar numa autoridade que faz uma aposta e não tem certeza de que obterá o resultado esperado?).      

 

 

IDENTIFIQUE SEU ESTILO DE FALAR

 

No caso da comunicação, o estilo é a marca individual, um jeito único e intransferível de transmitir uma mensagem.

 

Procure conhecer seu estilo. Ele é formal ou informal? Direto ou metafórico? Expressivo ou reservado?

 

Cuidado: o estilo não pode ser forjado ou a plateia notará e reagirá de forma negativa. Seu estilo deve harmonizar-se com sua personalidade e combinar seus princípios e valores pessoais à imagem pública que você pretende construir.

 

 

MANTENHA O FOCO

 

Sua apresentação deve ter uma característica específica, uma linha mestra que permeie todo o conteúdo, para que não se torne um conjunto de informações soltas e desconexas.

 

 

CRIE UM BOM TÍTULO

 

Na hora de definir o título de sua apresentação, pense bem. O título é a primeira referência que você entrega ao divulgador, o primeiro indicador da qualidade do seu trabalho.  

 

O título deve ser seu aliado, não seu inimigo. Infelizmente, esse é um risco que você vai correr se fizer uma escolha equivocada. Por isso, estude bastante antes de tomar a decisão.

 

O melhor título é aquele que desperta a curiosidade das pessoas e o interesse pelo que será apresentado.   

  

 

 

UTILIZE O PODER DA EMPATIA

 

A boa comunicação depende de um clima de confiança e amizade. Evite preconceitos, não julgue os participantes, respeite princípios e valores, mesmo que não concorde com eles. Isso é primordial para o sucesso da sua apresentação.

 

As diferenças pessoais devem ser fator de enriquecimento, não de ameaça. Os participantes não são seus inimigos.

 

Quanto mais confiança você transmitir, maior será a empatia e o grau de aprendizagem.

 

 

CUIDE DE SUA VOZ

 

A voz liga o orador à sua plateia. Ela deve ser usada para causar impacto, sempre! A modulação de voz faz a plateia reagir muito mais do que o conteúdo.

 

Para manter um timbre de voz elegante é preciso manter as cordas vocais hidratadas e lubrificadas.

 

Antes de iniciar uma apresentação, beba bastante água em temperatura ambiente. Evite bebidas geladas ou muito quentes, fumo álcool e ar condicionado.

 

 

FAÇA SEU CORAÇÃO FALAR

 

Fale como emoção. A capacidade de emocionar uma plateia constitui a diferença entre um bom e um mau orador. Ao falar vibre com cada palavra, envolva o auditório num ambiente de emoção e confiança.

 

Empolgue as pessoas pelo uso de palavras vencedoras e evite as derrotistas. As pessoas costumam associar sua fala à sua imagem.

 

Se você falar de forma apaixonada em prosperidade, coragem, sucesso, objetivos conquistados, é assim que irão vê-lo.     

 

 

 

COMECE PELO COMEÇO

 

Na maioria das vezes, o profissional apresenta a si próprio para a plateia. Essa é uma forma de legitimar seu papel naquele momento e naquele espaço. Dedicar um tempo para se apresentar ajuda a quebrar o gelo.

 

Assim, com simplicidade e simpatia, saliente os aspectos de sua biografia profissional que estejam relacionados ao tema da apresentação.

 

Se houver um mestre de cerimônias para fazer isso, corresponda com uma atitude amistosa – olhe para ele e ouça-o com atenção até o momento de iniciar sua apresentação.      

 

 

QUEM É QUEM

 

O ideal é que todos os participantes usem crachás com os nomes legíveis para ser identificados a distância. Isso agiliza a interação do grupo.

 

Quanto mais próximos os participantes estiverem do apresentador, maior será a interação e o envolvimento. Assim se o auditório tiver uma quantidade maior de lugares do que o número de participantes, peça aos presentes que ocupem as cadeiras mais próximas.

 

Assim você terá uma visão mais global e compacta da plateia.      

 

 

 

TRINTA SEGUNDOS E NADA MAIS

 

No caso de plateias de até 30 pessoas, é possível pedir a cada participante que se apresente. Para administrar melhor o tempo, cada um poderá ter no máximo 30 segundos. Isso dependerá do objetivo e do tempo do evento.   

 

 

 

DEFINA A HORA DA PARTICIPAÇÃO DA PLATEIA

 

No início da apresentação, defina como e quando a plateia poderá fazer perguntas. As opções são:

 

▪ Durante a apresentação – à medida que surgirem os questionamentos ou, no final, no tempo reservado para as perguntas.

 

▪ Quando a plateia for muito grande, nem sempre há tempo para responder todas as perguntas. Uma solução é fornecer um site ou endereço eletrônico para a pessoa entrar em contato.      

 

 

 

PROCURE ENVOLVER A PLATEIA

 

Se você perceber que seu público está sonolento ou inquieto, faça imediatamente um intervalo ou, se possível, proponha exercícios práticos ou jogos dramáticos.

 

Treine antes para verificar em que momento a sua apresentação se torna cansativa e monótona e veja o que pode fazer para evitar isso.